7ª edição do Jornal Capital em Foco 

PROFISSÕES EM ALTA

Por Ângela Scórsin

Queridos leitores, nesta edição trago a vocês uma análise de algumas matérias que tenho lido sobre as profissões do futuro. Já falei em artigos anteriores que muitas profissões irão desaparecer daqui para frente, porém para minha surpresa, algumas delas, que não se comentam muito, estão à frente, mas com roupagem nova. A inovação é a palavra chave para quem não quer ficar para trás. Recentemente o Linkedin e, também o SENAC publicaram 15 profissões que estarão em alta em 2020, e a pesquisa foi elaborada a partir das habilidades pessoais e técnicas que compõem as profissões.

 

Dentro da pesquisa, os profissionais que dominam a tecnologia estão em primeiro plano. Reintero a importância de estarmos totalmente ligados em aprender a como lidar com a internet, redes sociais, aplicativos, nuvem, e etc.

Vocês já ouviram falar na expressão Fintech? É a junção da palavra financial (financeiro) e technology (tecnologia). O termo foi criado por startups com efeito de aperfeiçoar os serviços financeiros, e quem mais gostou disso foram os bancos que utilizam cada vez mais o espaço digital. Surgiu, então, às profissões de Engenheiro de Cibersegurança, Engenheiro de Dados e Cientista de Dados. Ainda na área de Tecnologia da Informação, temos Gestor de mídias sociais, Assistente de mídias sociais, Especialista em Inteligência Artificial, Desenvolvedor em JavaScript, Desenvolvedor de plataforma Salesforce, Coach de metodologia Agile, e claro, Recrutador especialista em Tecnologia da Informação. Neste último a importância da análise do perfil dentro das especialidades é de uma responsabilidade sem igual para o recrutador, que deve ter uma noção complexa do que o empregador precisa para a empresa. Temos, ainda, o Consultor de investimentos e o Investidor Day Trader. Já na área de humanas, temos o Representante de vendas e o Especialista em sucesso do cliente, pois não adianta tanta tecnologia se não soubermos lidar com o ser humano, não é? A organização precisa vender, e para isso precisa unir a inovação tecnológica com a humanização. Somando os dois temos resultados perfeitos. E, por fim, o destaque da lista, a profissão de Motorista, que apesar de muitos não saberem, uma profissão que exige um equilíbrio emocional par lidar com o estresse no trânsito, falta de respeito de outros profissionais, e acima de tudo, força física e mental. Mas as empresas estão exigindo formação educacional, conhecimentos básicos em tecnologia e atendimento a clientes. O fato disso tudo é não deixar de se conectar com o aprendizado: fazendo outra formação, cursos, lendo livros diversos, artigos, assistindo vídeo aulas, ou até, trocando experiências com colegas. Caso esteja perdido em sua carreira, procure um mentor. Ele vai te orientar a como chegar ao topo da lista.

Abraço.

Ângela Scórsin

Especialista em Assessoria Executiva e Secretária Executiva

  • Instagram ícone social
  • Facebook Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon