6ª Edição do Jornal Capital em Foco

EMPRESAS SUSTENTÁVEIS – RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

 

Por Silvana Scórsin

 

Há uma crescente atenção sobre o assunto Responsabilidade Socioambiental nas das empresas. Preocupadas com os Stakeholders a matéria é assunto de merecida preocupação com a imagem não só perante aos acionistas, mas também para com os consumidores e a sociedade em geral.

A mudança de comportamento da população pela conscientização do uso dos recursos naturais pelas empresas tem tido efeito em todas as organizações, o que eles chamam de sensibilidade ambientalista ou ecológica.

A Ética nas empresas parte do pressuposto que a fonte dela é só a pessoa e sua inteligência, e sendo assim, a empresa necessita, para praticar a Responsabilidade Social, pôr em prática não só na administração, mas no interior de seus colaboradores essa visão de valores e uso correto de bens finitos, no caso das empresas, o lixo produzido diariamente não difere muito de um lixo residencial, pois praticamente todos os colaboradores utilizam papéis, copos plásticos, alimentos e outros produtos, orgânicos e secos.

O bom papel das empresas no atendimento das necessidades sociais, remete bons resultados com a produtividade dos colaboradores, que praticam em sua jornada de trabalho e de descanso, um ato nobre de consciência com o meio ambiente. Pequenas mudanças de hábitos diários, realizam verdadeiras revoluções no dia a dia do mundo sustentável, por exemplo: adote sua caneca, não tenha lixeira particular, use e incentive a todos a coleta seletiva do lixo no escritório, economize papel, descarte lixo eletrônico com parceiros ou empresas parceiras e certificadas em reciclagem destes produtos, consumo de água e luz, e tantas outras ações pertinentes ao ambiente em que as atividades são realizadas.

O importante é a motivação e a ciência do processo virar absolutamente hábito. Responsabilidade Socioambiental é uma forma de prestação de contas à sociedade pelo uso dos recursos naturais que originalmente não lhe pertencem, mas sim a todos e o compromisso das empresas vai além dos fins ambientais, mas também para os fins sociais.

Infelizmente, nem todos os Empresários pensam assim, pois na visão clássica da administração, a única responsabilidade da empresa é para com a maximização dos lucros aos seus acionistas. Mas existe uma outra visão, denominada socioeconômica, cujos defensores dizem que as empresas não só devem buscar os lucros como também a proteção e a melhoria da qualidade de vida das comunidades onde operam.

Existe ainda uma outra Responsabilidade Socioambiental, o das obrigações emergenciais, esta última que trata das situações calamitosas como inundações, terremotos etc. Tem característica de resposta de solidariedade com a situação, é reativa.

Hoje, em nosso País, sabe –se muito bem que também, muitas empresas, que operam com resíduos perigosos, precisam adotar práticas preventivas em suas operações, não colocando jamais em risco os seres humanos e o meio ambiente.

Por fim, a Responsabilidade Socioambiental no Brasil, que desde a década de 80 vem se desenvolvendo nas empresas é parte do planejamento estratégico para quem hoje, realmente deseja alcançar seus melhores objetivos, cumprindo sua missão com práticas e ações também voltadas as áreas sociais, além de incorporar valores morais e éticos com a cultura da Organização.

A Responsabilidade Socioambiental não deve ser só um motivo de vantagem competitiva nas empresas, mas sim uma conscientização do papel que as empresas exercem junto a sociedade, procurando abordar o assunto de forma educativa e buscando a parceria de todos os stakeholders

Silvana Scórsin

Mestre em Gestão e Avaliação de impacto ambiental e Especialista em economia e gestão empresarial

  • Instagram ícone social
  • Facebook Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon