9ª edição - do Jornal Capital em Foco

 

Como as organizações estão fazendo para se manterem na pandemia?

 

 

 

Por Camila Tertuliano

Queridos leitores!

 

As empresas estão passando por momentos de dificuldades por causa da pandemia. A sociedade de classe mais baixa que no dito popular (já vendia o almoço para pagar o jantar), agora uma real e desastrosa necessidade. O Brasil tem 50% de trabalhadores autônomos que não tem poupança, e muito menos, um capital de giro. Como esses empreendedores irão sobreviver pós pandemia? Essas pessoas se veem sem emprego, renda e sem possibilidade de trabalho.

Funcionários que tinham uma carreira sólida no mundo dos negócios como por exemplo: a carreira de aviação civil, empreendedores de agências de viagens, empresas de eventos, palestrantes e cantores. Estão vivendo meio ao furacão. As empresas estão sem dinheiro para manter os gastos com planejamento de faturamento. Poucas empresas estavam preparadas para uma crise como esta. Estamos todos assustados, mas não paralisados. 

As grandes empresas estão fazendo ações sociais para ajudar o setor da saúde, e as comunidades carentes. Pequenas campanhas que ajudam os trabalhadores autônomos como diaristas, garçons, etc... e campanhas de cestas básicas para famílias carentes. Isso só mostra que os cidadãos, mesmo que ao meio de dificuldades estão sempre se preocupando com próximo.       

A saúde que já era precária na falta de medicamentos e leitos de UTI, agora estão vivendo uma calamidade pública. Estão correndo contra o tempo construindo UPAs, reestruturando hospitais, contratando médicos e construindo hospitais de campanha.    

De contra partida, as empresas não podem só fechar as portas, e ficar de braços cruzados vendo o mundo ao seu redor se destruir.  Empresas de grande porte se reestabeleceram nos negócios, ajudando a sociedade produzindo produtos que estavam em falta no mercado como o álcool em gel, instrumentos médicos e respiradores, que para ganharem essa guerra do convid19 é essencial. 

Na leitura do site: três meios – “O marketing social corresponde a um conjunto de iniciativas realizadas por uma empresa com fins sociais, sem pensar em comercializar algo. Sim! Ao invés de focar na venda de produtos e serviços, ele preza a promoção da empresa por meio de ideias e atitudes em prol da sociedade, em diferentes sentidos. Por isso, muitas campanhas institucionais têm o marketing social como guia, como as de muitos órgãos públicos, por exemplo”.

“O conceito nasceu em 1970, quando Philip Kotler e Gerald Zaltman notaram que, além de vender produtos, o marketing também atua como propagador de atitudes, causas e comportamentos. Mas foi apenas no ano seguinte, em 1971, que eles conceituaram o marketing social”.

 

Esse é uma técnica muito usada para empresas do 3º setor, governamental e intuições de caridades. Mas, com a pandemia muitas empresas de grande porte estão utilizando desse momento para usar esse marketing para fomentar sua organização. 

Algumas empresas multinacionais fizeram ações solidárias que alavancou o marketing e promoveu ajuda para a comunidade. Alguns exemplos:   

- A AMBEV anunciou que vai usar uma de suas fábricas de cerveja para produzir 500 mil unidades de álcool em gel. A maior cervejaria do mundo, dona de marcas como Brahma, Skol, Antarctica e Stella-Artois, disse que irá doar o produto a hospitais públicos do Rio, de São Paulo e de Brasília. A empresa ainda se comprometeu a arcar com os custos e a logística das entregas. 

- A empresa de cosméticos Mary Kay – a marca fez doações para a Fundação Oswaldo Cruz, que possibilitará a fabricação de cerca de cinco mil testes capazes de detectar o novo coronavírus, e para a Associação Fala Mulher, visando a compra de materiais necessários para a prevenção da Covid-19. Nos EUA, parte das instalações da empresa será adaptada para a produção de álcool em gel.

Empresas de capacitação liberam cursos grátis na quarentena. Cantores tiveram que inovar fazendo lives, e campanhas na internet de doação para ajudar comunidades carentes – “as famosas vaquinhas”. 

E, você empresário?  O que está fazendo para impulsionar seu negócio, e ajudar a sua comunidade? Chegou a hora de apreendemos com as formigas, que com união e trabalho vencem o inverno rigoroso. Vamos nos unir para vencer essa pandemia que assola nossa nação. 

 

Fontes: https://tresmeios.com.br/blog/o-que-e-marketing-social/

https://theintercept.com/2020/03/20/ambev-vende-patrocinio-alcool-em-gel/

https://www.meioemensagem.com.br/home/marketing/2020/04/09/responsabilidade-social-pandemia-exige-coerencia-das-marcas.html

Camila Rodrigues Tertuliano

Especialista em Gestão de Pessoas e Secretária Executiva

  • WhatsApp Image 2018-11-16 at 22.33.30
  • Instagram ícone social
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • White Facebook Icon