ENTREVISTA: 30/06/2019 – Central dos Esportes – Festival do Japão – Parque de Exposições – Parque da Cidade – Brasília/DF.

ENTREVISTADO: ANDRÉ PEREIRA DA SILVA

 

 

CAPITAL EM FOCO: André, qual sua qualificação?

André – Sou professor de Judô com o grau máximo em faixa preta com especialização em psicomotricidade. Eu tenho uma formação em coordenação motora exatamente para poder lidar com esse trabalho.

 

CAPITAL EM FOCO – Você é de Brasília?

André – Sim, sou nascido e criado em Brasília.

 

CAPITAL EM FOCO – Você tem um Projeto de inclusão dentro do seu trabalho como professor de Judô, não é?

André – Isso, o Projeto chama-se “Judô Precoce”. O projeto atende 25 crianças na cidade do Areal, mais 10 crianças aqui, na quadra 507 Sul, no DF DOWN, e é um Projeto que trabalha e possui o foco na inclusão, na preparação da criança com deficiência para o esporte. Hoje nós falamos “Inclusão”, mas, às vezes, nós perguntamos: será que as crianças também estão preparadas para serem incluídas?

Sou pai do Salomão Silva, ele tem 3 anos,  tem a Síndrome de Down, e desde o nascimento busquei me preparar para poder atender ele com um Judô de qualidade, então, a gente desenvolve um trabalho com psicomotricidade, trabalhando as questões psicomotora das crianças, trabalhando a questão do reflexo, do convívio coletivo. Hoje o “JUDÔ PRECOCE” - tenho orgulho de dizer - que ele é o único no mundo inteiro que trabalha com a preparação da criança para a inclusão no esporte.

 

CAPITAL EM FOCO – Quais as mudanças que você percebeu em seu filho?

André – Sim, no Salomão e em algumas crianças. Apesar de o Projeto ter três meses a gente consegue observar nas crianças o desenvolvimento, a sua progressão. O Salomão teve um pré - diagnóstico que ele não andaria, e que ele teria uma má formação cerebral, hoje, nós vemos o Salomão fazer tudo o que uma criança normal faz.

“O Salomão aonde ele vai ele brilha! Ele é luz!” André Pereira da Silva – Pai.

Na foto: Salomão Silva  - Campeão Brasiliense ontem 30/06/2019 – Campeonato Brasiliense de Judô!

                                              

                                               Salomão Silva

“Mostra que toda a criança pode sim, que são capazes, que ninguém deve ficar parado e as limitações que existem devem ser trabalhadas” – Andre Pereira da Silva

 

CAPITAL EM FOCO - Você tem apoiadores?

André – Hoje? Não! Nós temos pessoas simpatizantes com o Projeto. Pessoas que olham o Projeto e acham bonito. Hoje, quem eu posso falar que é o nosso parceiro é o DF DOWN, que nos dá a Sede, a estrutura física para o trabalho, e também, a Igreja Batista Koinonia aonde é desenvolvido um trabalho toda a semana, que é uma Associação Sociocultural Koinonia, lá além do “Judô Precoce” trabalhamos com cerca de 90 crianças da comunidade que sofrem risco social, aquelas que sofreram abuso, foram aliciadas pelo tráfico, então fazemos o acolhimento com essa criança por meio do Judô.

 

 

 

CAPITAL EM FOCO – André, existe um Projeto parecido como o seu oferecido no setor público?

André – Então, o “Judô Precoce” é o único no mundo inteiro, eu chamo até a atenção das autoridades, do Poder Público para poder dar uma visibilidade e uma atenção a esse Projeto. Como eu disse, o Projeto nasceu levando meu filho para a  estimulação precoce. A estimulação precoce é o responsável por preparar a criança, eu percebi isso com o Salomão. Então criamos o “Judô Precoce” para preparar a criança não para o ensino, mas também, para o esporte, e que esse método seja modelo não só para o Judô, mas para natação... Devemos ser estimulados em tudo. Se você pegar uma criança e colocá-la dentro de um quarto e não a estimular pra vida, a tendência é que essa criança cresça com dificuldade. A dificuldade tem que ser trabalhada. Eu creio que depois desse evento (Festival do Japão), esse trabalho venha a deslanchar e que venha ter mãos e oportunidades para todas essas crianças.

 

CAPITAL EM FOCO – André quer passar um recado para nossos leitores?

André – Quero agradecer a vocês, esse canal importantíssimo de referência e que tem buscado a importância do social e fazendo com que o trabalho da gente tenha alcançado mais público, e mais pessoas venham a ter acesso.

 

CAPITAL EM FOCO – Obrigada!

André – O recado que eu tenho mesmo é que as pessoas não olhem com diferença, que eles abracem a causa, que não achem apenas bonitinho “ai que lidinho”, mas que entendam a importância à significância desse trabalho. Esse trabalho tem um poder muito grande na evolução de uma vida, não é um momento, uma diversão, é preparando a criança para a vida. Então que o Poder público, o poder social possa olhar toda a importância desse projeto.

 

 

        

”Não tem um trabalho mais bonito que esse jovem está fazendo. A gente não tem outra forma de melhorar o mundo se não ajudar quem precisa. As artes marciais estão aí em “ponto de bala” para isso. Conte conosco André, vamos continuar trabalhando. Um trabalhando é uma coisa, mas, muitos aí sim, a união faz a força! Não é verdade?“

Na foto: Mestre Sansei Takeshi Miura - 9º Dan de Judô faixa vermelha pioneiro do judô de Brasília – Andre Pereira da Silva - faixa preta Dan formado em Pscicomotricidade especializado em coordenação motora e no braços, Salomão Silva, campeão Brasiliense – 2019.

 

CAPITAL EM FOCO – Andre, o trabalho é todo voluntário?

André – Então, nós fazemos um trabalho voluntário na semana com a comunidade, são 90 crianças assistidas, todos os meses, terças e quintas, que recebem alimentação, são assistidas com aulas de inglês, matemática, português, e o judô como uma modalidade. Esse trabalho é 100% social, não tem nenhum tipo de cobrança, à noite desenvolvemos sim um trabalho com os pais, e com as pessoas da comunidade, eles treinam a noite com a gente lá em Águas Claras. Lá são segundas quartas e sextas das 21h às 22 horas.  Esse público  tem um poder aquisitivo maior.

CAPITAL EM FOCO – Qual o público de vocês para o voluntariado? São apenas os portadores de deficiência?

Não, de maneira nenhuma, nosso objetivo é a inclusão 100%, e durante a semana é ministrado à aula normal para a comunidade, aos sábados temos as aulas com as crianças especiais, e para as crianças que não tem nenhum tipo de necessidade especial também. Nosso objetivo não é encher uma academia de crianças especiais, mas de preparar essas crianças para poder enviar elas para academias do Takashi Miura, para outras academias, para quando elas chegarem lá, elas possam ser bem assistidas.

 

CAPITAL EM FOCO – Os professores que vão trabalhar com o “Judô Precoce” eles passam por uma qualificação além da adquirida como professor de judô?

André – Sim, essa é a intenção do “Judô Precoce”, até me perguntaram se eu iria patentear – sim – porque a questão é patentear o método, não o nome, para que as pessoas venham trabalhar com responsabilidade não porque é bonito. Trabalhar com uma criança especial é muito importante você entender a limitação da criança, então para um profissional desenvolver um trabalho desse é necessário que ele passe por  um processo com a gente, e também com a Federação do Judô  que já está com plano da proposta em andamento esperando que o Presidente, nessa sua gestão atual, possa receber essa sugestão para amanhã os professores entenderem a responsabilidade da inclusão.

 

CAPITAL EM FOCO – André, parabéns pelo trabalho, desejamos muito sucesso! Passe os endereços para nossos leitores, por favor?

Andre – Obrigada! Estaremos também sempre à disposição. Estamos na ADE de Águas Claras - Associação Culturas Kanoenias, e também, na 507 Sul ao lado do Banco do Brasil, no DF Donw. Nossas aulas são ministradas sábados sim, sábados não, justamente pela agenda dessas crianças, pois muitas delas tem agenda o dia todo, então, acaba que é muito complicado elas irem durante a semana, e também para que a gente dê esse momento de família, um final de semana com a família.

“O Salomão aonde ele vai ele brilha! Ele é luz!” André Pereira da Silva – Pai.

Na foto: Salomão Silva  - Campeão Brasiliense ontem 30/06/2019 – Campeonato Brasiliense de Judô!

  • White Facebook Icon