Da Cidade Maravilhosa para o Quadradinho 

Por Ricardo Perju

Em outubro, entrevistei o até então Gerente de Recepção e Hospedagem da Rede Windsor de Hotéis, Leonardo Monteiro. Ele tem uma grande vivência na hotelaria, aproximadamente 18 anos. Atendeu artistas internacionais, nacionais, chefes de delegações, príncipes, etc. Convivi com o Leonardo por um tempo na rede carioca.

Foi meu chefe imediato, meu gerente e, por muitas vezes, um grande conselheiro e amigo. Ele extraiu de mim todo o meu melhor,com a sua forma de gerenciar, que por muitas vezes me deixava um tanto sem entender, mas me deixou como produto, um profissional apto para tomada de decisões, mesmo que imediatas (quem é hoteleiro sabe o quão necessário isso é).


Eu fui o primeiro recepcionista a atendê-lo na sua primeira visita ao hotel. Quando começamos a trabalhar juntos, o recepcionei como um hóspede, e enquanto fazia entrevistas, logo após o atendi na sua apresentação à equipe.  Leonardo traz na bagagem uma vida de bastante luta, por ter sido criado em uma família humilde, em uma comunidade da Zona Oeste do Rio de Janeiro, mas isso não o definiu, ele olhou em uma outra perspectiva, seguiu em frente e foi perseverante.

Me interessei pela sua história logo quando se apresentou para toda equipe; foi feito um treinamento sobre atendimento de luxo e ele aproveitou para contar um pouco de sua história. Luxo e gestão compõe o seu forte, aquilo que ele domina. Uma das partes que mais me interessou, foi pelo falo dele ter de acordar mais cedo, para ver se estaria acontecendo algum tiroteio, e se tivesse, deveria esperar passar, para então seguir caminho para o trabalho. Aquela história era muito diferente da realidade de onde eu vivia, então, logo me motivou em diversos aspectos.



Outra parte que me chamou bastante atenção, foi quando ele começou sua vida laboral entregando material de limpeza pelo Rio de Janeiro, ali eu me vi, me submetendo a situações onde por necessidade, por independência, por vontade, era necessário passar. Logo após, foi para o Exército Brasileiro passando o período de 1 (um) ano, o qual ele diz que foi um dos piores de sua vida – e podemos imaginar. Após o exército, participou do processo seletivo para uma vaga de Auxiliar de Serviços Gerais, em um dos hotéis mais conhecidos e luxuosos do mundo, o Copacabana Palace, onde tudo começou. Essa experiência foi como um grande desafio em sua vida e ele seguiu em frente. Passou por diversas áreas nesse incrível hotel, um total de 10 promoções, até chegar à chefia dos Mordomos, onde pôde servir, com excelência, as grandes personalidades deste mundão, com todas as suas peculiaridades. Suas histórias na hotelaria até aqui, foram também contadas nos programas do Jô Soares e da Fátima Bernardes, quando foi entrevistado por eles.


Em sua história relata que passou por diversas situações, afinal, hotelaria e rotina não fazem parte da mesma frase, nunca! O Rio de Janeiro foi um passo de sua grande jornada, mas o destino o trouxe até Brasília, quando foi convidado para implantar um hotel, que logo depois, o tornou: Gerente-Geral. Passando por alguns hotéis, o tão sonhador gerente, chegou à rede Windsor de Hotéis, que por ironia do destino, também é carioca. Com todo seu carisma, foi ganhando espaço para trazer ideias, como: viabilizar novamente o serviço de Guest Relations / Concierge, que estava na “geladeira” por um tempo. A priori, era apenas um teste, mas que foi dando certo ao longo do tempo. Vi esse projeto se implantando desde o início, quando eu ainda fazia parte dos funcionários da casa. Ele me colocou para ficar responsável, juntamente a outra colega, quanto essas demandas dos hóspedes VIPs.



Era/é um serviço personalizado, o qual trazia mais conforto e mimos para os habitués, clientes que já eram acostumados a se hospedar no hotel. A luta do Leonardo não parou por aí, e ele sonha, até hoje, em alcançar voos maiores, chegando à Diretoria de um hotel. Não duvido nada que chegará lá. A hotelaria é inspiradora, é um mundo de opções, é muito além daquilo que a gente possa imaginar. Tem todo um staff, têm diversos procedimentos, têm bastante alinhamento, estratégia, tudo, para que você e sua família se sinta em casa, sempre! E para os colaboradores... Há possibilidade de crescimento, tanto pessoal, quanto profissional! O intuito do Jornal Capital em Foco é esse: mostrar que nem só de funcionalismo público Brasília é composta, e, sim, também, de pessoas que escolhem outras formas de viver e serem felizes em seus ofícios.

 O Jornal Capital em Foco agradece o Leonardo Monteiro pela participação dessa edição, e por nos motivar com a sua história inspiradora. 

25 visualizações
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon